Cerimónia de Formatura

No passado dia 16, realizou-se na Escola de Direito da Universidade do Minho, a Cerimónia de Formatura 🎓 seguida de uma Gala, decorrida dentro das normas de segurança. Muitos parabéns a todos os nossos Finalistas, que o sucesso seja uma constante na vossa vida! Voltem sempre a esta nossa Casa!

Discurso – Cerimónia de Formatura (Maria João Alves)

Exma. Presidente da Escola de Direito da Universidade do Minho, Professora Doutora Cristina Dias,

Exmo. Presidente do Conselho Pedagógico, Professor Doutor Marco Gonçalves,

Exma. Diretora de Curso, Professora Doutora Eva Sónia Moreira,

Querida Dona Carmelinda, 

Caro Rúben Azevedo, que hoje representas os alunos do 4.º ano, 

Caríssimos Finalistas, a quem hoje dirijo este discurso,

Caros e caras colegas e amigos,

A primeira vez que entraram pelas portas da nossa querida Escola de Direito da Universidade do Minho foi há cerca de 4 anos. Porventura nervosos, curiosos, animados, com alguns receios, típicos de quem começa uma longa e desafiante jornada, certamente não perceberam o quão rico ia ser este caminho que iriam percorrer. Um caminho de novas amizades, de crescimento, de muito conhecimento, de muitas aventuras, lutas e sucessos. Tiveram dúvidas, perderam-se muitas vezes pelo caminho, mas pediram ajuda e superaram os obstáculos que foram surgindo. É por isso que se encontram aqui, hoje, no culminar deste trajeto. Gostava que olhassem para trás, para as pessoas que eram ainda em 2017, para a altura em que eram caloiros de Direito; quando fizerem este exercício mental, sei que irão sorrir, pois perceberão que o vosso crescimento foi notório. Os 4 anos que compõem o curso de Direito são uma experiência especial: constituem uma aprendizagem sobre o complexo sistema jurídico que é base da nossa sociedade; mas também são sobre o estudo de nós mesmos e a constante (re)descoberta da nossa própria natureza e personalidade.

Hoje, celebramos uma nova etapa da vossa vida: o final deste longo caminho que traz consigo o início de um próximo. A forma como vocês o irão desenhar, isso só cada um de vós o sabe. No entanto, estou certa de que estarão próximos do sucesso e que é já para vocês possível sentir o toque dos vossos sonhos alcançados. Aquilo que vos é exigido, enquanto estudantes de Direito desta Academia, é que, em primeiro lugar, sejam fiéis aos vossos sonhos e aos ideais que construíram ao longo da vossa formação. Em segundo lugar, que não deixem de arriscar, de ser corajosos, de mudar de planos se tal for necessário para a vossa máxima realização enquanto juristas e pessoas. E, por último, aquilo que vos é exigido enquanto alumni da Escola de Direito da Universidade do Minho é que nunca deixem de ser os bons alunos que aqui se tornaram: e, calma, não estou a falar de saberem “de cor e salteado” as requisitos da responsabilidade civil extracontratual, a matéria de família e de sucessões ou a forma como se dá o processo de oposição a uma execução fiscal. Ser um bom aluno de Direito na Universidade do Minho é nunca deixar de estudar ou dar o conhecimento do Mundo como adquirido; é saber questionar a realidade sensível à nossa volta – porque o Direito muda e porque o Direito é sobre uma realidade complexa sobre a qual nunca teremos todos os dados; é saber “mais ou menos” como chegar à solução mais correcta ou mais justa, mesmo não conhecendo concretamente o caminho até lá; é colocar em causa, de forma crítica, os sistemas que nos rodeiam; é sobre saber que a aplicação do Direito não é “preto no branco”. 

Hoje, e sabendo que têm todas as estruturas e conhecimentos necessários para o fazer, desafio-vos a viver os próximos tempos que vos aguardam à vossa maneira, sem nunca se desiludirem a vocês próprios e, quiçá, mudando um bocadinho o Mundo por onde passam – relaxem, vai ser fácil. Hoje, sei que alguns poderão estar receosos; outros poderão estar algo tristes – porque esta Escola que foi a vossa Casa trouxe-vos tanto e é altura de a abandonar. Este sentimento tão pesado que às vezes trazemos no peito e ao qual chamamos de forma tão romântica, saudade, é sinal, no entanto, de que efetivamente isto tudo valeu a pena. A partir de hoje começam os dias em que da vossa jornada pela nossa Escola, só restarão as memórias. Ao mesmo tempo, estes serão os primeiros dias do resto da vossa vida. Serão os vossos primeiros dias enquanto verdadeiros juristas. 

Em nome da AEDUM e de todos os vossos colegas, só me resta parabenizar-vos por terem completado a missão hercúlea que foi a vossa formação. Agradeço a todos aqueles que fizeram parte desta jornada, dos valorosos docentes aos queridos funcionários, que auxiliam na construção das jornadas de todos os estudantes que passam por estas portas. Juntos enfrentamos todas as adversidades e saímos vencedores. Juntos somos, e sempre seremos, parte da Escola de Direito da Universidade do Minho. Sorriam, turma do 4.º ano, porque têm, finalmente, o Mundo totalmente à vossa disposição. A todos vocês, o maior dos sucessos. Muito obrigada!

Discurso – Cerimónia de Formatura (Rúben Azevedo)

Exma. Presidente da Escola de Direito, Professora Doutora Cristina Dias,

Exmo. Presidente do Conselho Pedagógico, Professor Doutor Marco Gonçalves,

Exma. Diretora de Curso, Professora Doutora Eva Sónia Moreira,

Exma. Presidente da AEDUM, Maria João Alves,

Exma. e querida Dona Carmelinda,

Caras e caros convidados, 

Caras e caros colegas, 

Aproxima-se o término de uma das melhores etapas das nossas vidas. Quatro anos depois de termos entrado pela primeira vez nesta Escola, eis que chega o momento de declararmos a demanda que aqui nos trouxe como cumprida. 

Um momento por que muito ansiamos, principalmente nas horas pré-teste, que podem não ser hoje recordadas pelos melhores motivos, ou nos picos de dificuldade trazidos pela crise que enfrentamos. Mas mesmo assim é um momento agridoce, agora que a ele chegamos, e nos deparamos com o fim de uma jornada que nos marcou de forma indelével.

Parece que foi ainda ontem que passamos pela primeira vez pelas portas desta nossa Casa, e creio poder afirmar sem dúvida alguma que dela levamos muito mais do que imaginamos inicialmente. Levamos as aprendizagens e conhecimento que adquirimos, as noites mal dormidas pelos mais variados motivos, as atividades e iniciativas nas quais participamos, os momentos sociais que nos desenvolveram enquanto pessoas e cidadãos, e as amizades que se criaram, logo no primeiro dia ou ao longo de todo este percurso, e que perdurarão por muito tempo. Sei que tal será sempre recordado por todos com saudade, esse sentimento tão tipicamente português.

Venho deste modo aqui falar-vos em nome de todos os finalistas, e em especial enquanto representante da turma de Pós-Laboral, cujos interesses defendi na melhor das minhas capacidades. É meu desejo que cada um de vós, tanto aqueles que estão presentes aqui hoje como os que não conseguiram comparecer, tenha o maior sucesso nos mais variados percursos que decidirem seguir. Estou certo de que o fruto de todo o nosso trabalho será reconhecido, devendo cada um ter noção da capacidade e do dever que temos em ser a mudança que idealizamos para a sociedade. Se hoje nos formamos juristas, então temos o dever de amanhã começar a construir o futuro, quer o de cada um, quer o de todos nós, contribuindo para a manutenção e evolução das noções de justiça, igualdade, liberdade, paz e ordem social em que o Direito é baseado.

Teremos dificuldades, sim. Não será uma jornada fácil daqui para a frente. O futuro é incerto, e muitos de nós não sabem bem o que nos espera, eu incluído. Mas partilhamos a certeza de que venha o que vier, estaremos preparados, de cabeça erguida e de olhos confiantes. Será esse o verdadeiro legado da formação que recebemos e das relações que desenvolvemos, que nos permitirão estar seguros e enfrentar orgulhosamente o que der e vier.

Em conclusão, e penso que em nome de todos, gostaria de endereçar sinceros agradecimentos aos familiares e amigos que apoiaram o nosso percurso, aos professores, aos técnicos e funcionários da Escola, às Associações, particularmente à AEDUM que tive o prazer de integrar e que tanto faz em nome dos estudantes, e ainda aos colegas que ao longo dos anos também ocuparam os diversos cargos de representação da nossa turma e dos estudantes de Direito, reconhecendo-lhes o valor dessa tarefa atribulada. 

Não foi fácil, mas eis que hoje, nesta cerimónia de formatura, nos despedimos da licenciatura. Não trocaria estes anos por nada, e tenho a certeza de que as memórias neles criadas são parte integrante de cada um de nós. Um estudante de Direito nunca deixará de o ser, mas pelo menos por agora, o trabalho está feito e a missão cumprida. Há portanto que celebrar esta vitória, respirar fundo, e preparar para o que quer que o futuro nos reserve.

Muito obrigado a todos.

Deixe uma resposta

Close Menu